sexta-feira, 25 de maio de 2018

Parabéns, Sir Ian Mckellen

E hoje, é aniversário de 79 anos de Sir Ian Mckellen, nosso amado Gandalf. Mesmo tendo assumido ser gay no longínquo ano de 1988, isso não impediu de ser admirado por todos os cinéfilos do mundo. Seu talento e carisma são muito mais importante do que sua opção sexual. Viva longa e próspera ao eterno mago Gandalf.
 

 "Conhecido por interpretar Gandalf nas franquias O Senhor dos Anéis e O Hobbit,  Sir Ian Murray McKellen é um ator britânico nascido em 1939. Embora seja famoso por seus papéis nas telonas, McKellen começou a carreira em 1961 no teatro. Entre as décadas de 1970 e 1980, era uma figura conhecida no teatro britânico, interpretando diversos personagens Shakespearianos.

Foi somente na década de 1990, por ajudar a escrever e por atuar em Richard III, que o ator começou a receber atenção mundial. Quatro anos depois, conquistou o papel do vilão Magneto na franquia X-Men. Durante as filmagens, foi convidado para interpretar o mago Gandalf, e foi o único ator da franquia de Peter Jackson a receber uma indicação ao Oscar por melhor ator coadjuvante. A partir de então, já apareceu em grandes produções hollywoodianas como O Código Da Vinci e a versão live-action de A Bela e a Fera.

1. Ele declarou ser homossexual publicamente aos 49 anos
 

Em 1988, durante um programa de rádio da BBC, ele participou de uma conversa com o Ministro do Interior Michael Howard sobre uma legislação para proibir o ensino sobre a homossexualidade nas escolas. No fim da conversa, Howard pediu um autógrafo para McKellen, que aceitou prontamente e escreveu: “F***-se, eu sou gay”. Ele é considerado a segunda pessoa que mais advoga pela causa LGBT no mundo, segundo a lista Pride Power de 2017.
 

2. Ele é um Cavaleiro da Ordem do Império Britânico
 

Em 1991, foi condecorado com a mais alta honraria da Inglaterra por seu trabalho na arte e se tornou um “Sir”.
3. Ele rejeitou o papel de Dumbledore
 

Mas isso não impede que ele seja frequentemente confundido com o poderoso diretor de Hogwarts, a escola de bruxaria de Harry Potter. Em 2009, McKellen teria dito que ele “interpreta o mago real — o melhor mago”.
 
4. Ele não leu O Senhor dos Anéis logo de cara
 

Em uma entrevista, o ator admitiu que se baseou somente no roteiro quando aceitou e começou a trabalhar no papel.
 

5. Mas se baseou no próprio Tolkien para criar Gandalf no cinema
 

O diretor Peter Jackson afirma que a performance de McKellen foi inspirada em ninguém menos que o próprio J.R.R. Tolkien, autor da série. Para isso, os dois estudaram entrevistas e ouviram gravações do autor."(https://revistagalileu.globo.com/)

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Crianças Soldados na África

 Por mais incrível que pareça ainda é possível encontrar países na África, que recrutam crianças para fazer parte de seus exércitos. Se uma guerra com adultos já é chocante, imagina uma com milhares de crianças? 

Em fevereiro de 2018, a Unicef conseguiu libertar algumas crianças soldados e continua lutando para libertar outras que estão em plena atividade guerreira. E para elas nada de escolas, brincadeiras, celulares, games, em seu cotidiano a morte é real e inevitável.!

 "A Unicef prevê a libertação de outros 700 jovens nas próximas semanas. Estima-se que 19 mil menores de idade tenham sido recrutados por militares e grupos armados no país
 

A missão da ONU para o Sudão do Sul (Minuss) anunciou a libertação de mais de 300 crianças soldados no sul deste país devastado pela guerra desde dezembro de 2013, dois anos após a separação do Sudão.

A libertação desses 311 menores de idade é a primeira fase de um programa que prevê desmobilizar 700 crianças soldados na região de Yambio, das quais 563 integram as tropas fieis ao presidente Kiir e 137 às do ex-vice-presidente Riek Machar.

"As crianças não deveriam carregar fuzis e se matar entre si. Deveriam brincar, se divertir com os amigos, protegidos e queridos pelos adultos de seu entorno", declarou o chefe da Minuss, David Shearer, citado em um comunicado.

Shearer indicou que 87 das 311 crianças libertadas nesta quarta são meninas, "que provavelmente sofreram experiências terríveis, como estupros (...) É vital que recebam o apoio que precisam para serem reintegradas às suas comunidades, e sejam acolhidas em seus lares por familiares e amigos sem serem estigmatizadas".

A Minuss, que colabora com o Unicef, líderes religiosos e autoridades locais para negociar a libertação das crianças, ressalta que o maior desafio agora é garantir educação, emprego e apoio financeiro e emocional aos menores.

A missão da ONU também negocia a libertação de crianças soldados em outras regiões, em particular no leste no norte do país."(dc.clicrbs.com.br/)

terça-feira, 22 de maio de 2018

Descoberta uma Joia Misteriosa do Povo Maia

Eu amo a arqueologia e cada descoberta sempre me deixa emocionada. E quando a descoberta é sobre os povos das Altas Culturas meu interesse aumenta mais...

"Encontrado em escavações em Nim Li Punit, no Belize, por uma equipa de arqueólogos liderada por Geoffrey Braswell, professor de antropologia da Universidade da Califórnia em São Diego, nos Estados Unidos, este grande pendente de jade talhado estava dentro de um túmulo, no interior de um palácio construído por volta do ano 400 D.C..

Descoberto entre vestígios de vasos cerâmicos e de um grande copo de pedra em forma de uma divindade, o pendente com 18,8 centímetros de largura e 10,4 de altura é “a segunda maior peça de jade Maia que já foi encontrada”, conforme explica a Universidade de San Diego (UCSD) num comunicado.

O túmulo onde estava enterrado data de 800 D.C., segundo os arqueólogos, ou seja, próximo do fim da civilização Maia em locais como o Belize e a Guatemala.
 

O pendente tem inscritos 30 hieróglifos que detalham todos os antepassados de quem possuiu a jóia e revela, nomeadamente, que terá sido usado pela primeira vez em 672 D.C., quando a região terá vivido uma mudança climática com uma grande seca.

Os arqueólogos acreditam, deste modo, que a jóia pode documentar o início do fim dos Maias e ajudar a “reescrever” a história desta civilização desaparecida, conforme notam no artigo científico publicado no jornal Ancient Mesoamerica da Universidade de Cambridge.

Os arqueólogos alegam que os Reis Maias usavam este tipo de pendentes durante cerimônias religiosas importantes para atrair as chuvas.

Este pendente de dimensão generosa tem a forma de T que “corresponde ao glifo Maia “ik“, que significa “vento e respiração” e indica que foi usado durante rituais para o deus mais importante, Huracán, o deus do vento“, explica a UCSD.

Jóias como esta eram habitualmente enterradas com o rei que as usou, mas os arqueólogos não encontraram vestígios humanos ao seu lado, o que indicia que pode ter sido enterrado com um fim determinado, designadamente como tributo especial ao deus do vento na expectativa de alterar o clima desfavorável.

“Uma teoria recente é de que as alterações climáticas causaram secas que levaram à falha generalizada da agricultura e ao colapso da civilização Maia”, nota Geoffrey Braswell, citado pela UCSD.

“A dedicatória deste túmulo, nesse tempo de crise, ao deus do vento, que traz as chuvas anuais, dá suporte a esta teoria e deve lembrar-nos a todos do perigo das alterações climáticas”, acrescenta o arqueólogo.

A tradução dos hieróglifos do pendente ainda não terminou e há muitas expectativas de que venham a ser descobertos novos dados surpreendentes sobre os Maias."(https://zap.aeiou.pt)

segunda-feira, 21 de maio de 2018

O Fusca e a 2ª Guerra Mundial

A 2ª Guerra Mundial foi um evento terrível ocorrido durante o Séc. XX, entretanto, algumas invenções que são usadas até hoje foram resultados desse momento trágico.

"O surgimento do Fusca aconteceu em meados dos anos 30, quando o pedido de Adolf Hitler para um carro acessível e pequeno foi atendido pelo renomado engenheiro austríaco Dr. Ferdidand Porsche. Hitler queria um veículo de passageiros que satisfaria as necessidades de transporte da população em um período que o movimento liderado por nazistas pretendiam ajudar o povo alemão.  
Em 1923, quando o partido nazista lutava para chegar ao poder na Alemanha, Hitler comprou um Mercedes justificando a necessidade de realizar um trabalho diário. Quando eleito, o mesmo utilizava o veículo para percorrer longas distâncias entre suas tropas.
 

Dizendo estar comprometido com a modernização do país e a recuperação da economia, principalmente do emprego, a ideia do “carro do povo” agradava Hitler e considerava sua projeção a realização dessa plataforma política.

Porém, Hitler tinha uma série de exigências quanto à fabricação do carro, como ter capacidade para dois adultos e três crianças, ou três soldados e uma metralhadora, possuir velocidade média de 100 km/h, consumo de combustível superior a 13 km/litro, motor refrigerado a ar, a diesel e possuir preço acessível.

Feito pra durar, o carro feito à pedido de Hitler foi nomeado Volkswagen (carro do povo) e, posteriormente, como Fusca aqui no Brasil.

Em 1939, com o início da Segunda Guerra Mundial, o Fusca acabou virando veículo militar e sua mecânica foi alterada. Virabrequim, pistões e válvulas, o motor de 995cc e 19cv passou a ser de 1.131cc e 26cv e mais de 70 mil unidades militares foram fabricadas.
 
Em 30 de julho de 2003, o último dos 21.529.464 Fuscas da Volkswagen é fabricado. Uma das três mil unidades da última edição, o veículo azul-bebê foi enviado para um museu em Wolfsburg, na Alemanha, onde a Volkswagen está sediada.

A primeira edição do Fusca foi exibida em 1939 no Berlin Motor Show, e a imprensa internacional logo o chamaria de Beetle pelo seu formato arredondado. Durante a Segunda Guerra Mundial, a fábrica continuou a produção de Fuscas mesmo estando mais voltada à fabricação de veículos de guerra.

O Fusca teve a produção interrompida em 1944 e só retornou após a guerra e apesar das vendas terem diminuído nos EUA, em 1960 o Fusca estava no topo da lista dos carros mais importados da América. O recorde de produção mundial ultrapassou o número de 15 milhões de veículos, tornando-se um ícone da cultura mundial."(https://www.meuusadonovo.com.br)

domingo, 20 de maio de 2018

Livro e Filme: Mentes Sombrias

O domingão está gelado mesmo com um sol tímido;  na madrugada a temperatura chegou aos 11º C mais ou menos. Para os cuiabanos acostumados com calor de mais de 35º C, esse tempo é perfeito para um casaco, chocolate quente ou café ou ainda ficar "lagarteando" na cama ou sofá. Uma boa leitura é o ideal para uma manhã gelada...

O livro de Alexandra Bracken Mentes Sombrias é uma distopia e foi lançada em dezembro de 2012. Entretanto, aqui no Brasil não caiu no gosto dos leitores e agora que vai virar filme eu recomendo a leitura. Ah! sim esse é o primeiro e possui somente 576 páginas, perfeito para leitores vorazes.

O filme tem estreia marcada para o segundo semestre de 2018 e pelo jeito vai ser top... E para quem curte uma distopia como eu vamos aguardar...
"Quando completa 10 anos, a garota Ruby vê sua vida mudar completamente. Além do medo de ser vítima de um vírus fatal que ataca apenas as crianças, ela é rejeitada por seus pais, que a entregam para a polícia especial.

Seu destino é Thurmond, um campo de reabilitação criado pelo governo norte-americano para cuidar dessa geração que possui algo diferente e ameaçador: são crianças com habilidades especiais. Elas podem controlar pessoas e objetos só com o poder da mente. Consideradas perigosas, vivem à margem da sociedade.

Mas, aos 16 anos, Ruby consegue escapar de Thurmond e muda o seu destino, ao lado de novos amigos, fugitivos como ela: Liam, Zu e Bolota. Juntos, os quatro vivem as mesmas dúvidas, medos e inseguranças. Enquanto enfrentam uma realidade assustadora, fugindo de caçadores de recompensa, da polícia e da Liga das Crianças, uma organização que quer se aproveitar dessas habilidades infantis, eles tentam encontrar o Fugitivo, um líder misterioso que oferece abrigo e ajuda às crianças. E percebem que, apesar de tudo, ainda conseguem sonhar."

sábado, 19 de maio de 2018

Filme: Onde está Segunda?

O dia amanheceu perfeito para curtir o sofá ou a cama... Afinal, está chovendo e muito, então, que tal aproveitar para "navegar" na netflix e descobrir algumas pérolas escondidas da maioria dos assinantes?

O filme "Onde está Segunda"? é uma distopia muito interessante e deixa muitas reflexões sobre a quantidade de pessoas existente no globo e o que fazer quando não houver mais comida, saúde, moradia e emprego para todos.

"Onde está segunda? inicia-se no ano de 2043, mostrando dados assustadores com relação ao crescimento mundial da população e a medida governamental da chamada “Lei da Alocação Infantil”, implementada pela ativista política e renomada bióloga conservacionista Dra. Nicolette Cayman (vivida por Glenn Close). Todos os cidadãos são identificados com pulseiras controladas pela agência de alocação, e aqueles que forem identificados como segundos filhos são encaminhados para a hibernação.

Com a ajuda de um médico, Terrence Setman (Willem Dafoe) consegue manter consigo suas sete netas, nomeando-as com cada dia da semana. Sendo todas idênticas, a atriz Noomi Rapace nos mostra aquele que talvez seja seu maior trabalho até aqui. São dadas uma personalidade e uma aparência específica para cada uma das irmãs, e a atriz sueca consegue interpretar todos os detalhes de forma majestosa. Todas são educadas e treinadas para ser uma mesma pessoa, chamada Karen Settman.

O filme vai aos poucos se destacando pelo ágil enredo e nos fazendo imaginar de que maneira algo dará errado; afinal, passam-se 30 anos, e cada uma foi ensinada a somente sair de casa nos dias que lhe dão nome. O primeiro desenrolar da trama se dá quando, como sugere o título do filme, uma delas desaparece. O fato de o filme se iniciar com uma ilegalidade e colocar as protagonistas nesse núcleo será o primeiro ato da excelente construção de tensão do longa, que faz com que o público torça o tempo inteiro para os ilegais e mergulhe intensamente na inquietude que eles passam diariamente."(www.planoaberto.com.br)

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Motivos para Assistir a Série The Rain

A sexta-feira chegou finalmente, então vamos aproveitar para relaxar e curtir uma série produzida na Escandinávia. Aliás, a netflix ultimamente tem investido em séries estrangeiras e algumas são realmente muito boas.
 "1 - Pós-apocalíptica
 

Se você é apaixonado por histórias pós-apocalípticas, não pode perder The Rain. Não há muitas informações sobre o tal vírus que matou quase toda a população escandinava, mas pelo trailer e, claro, pelo nome da série, supomos que a chuva contaminada possa ser a responsável pelas mortes. Como será que os personagens vão se salvar?
2 - Enigmas
 

Como o vírus é um mistério, os personagens precisam encontrar pistas para descobrir como sobreviver. Mas esse não é o único enigma que envolve a série, os irmãos também estão em busca de descobrir o paradeiro do pai deles em meio a luta pela sobrevivência.
 

 3 - Efeitos especiais
 

Toda série de ficção boa que se preze precisa ter efeitos especiais convincentes. Só de ver o trailer e o teaser, podemos afirmar que a produção de The Rain é excelente. A ambientação destruída, a trilha sonora impecável e o visual da série combinam perfeitamente com o clima de suspense e mistério.

 4 - Clima sombrio
 

Nada brilhante, nada colorido. A paleta de cores escolhida para compor a ambientação da série é perfeita para afirmar o seu clima sombrio. O tom cinza encaixa perfeitamente no cenário pós-apocalíptico. Tem ou não a cara de uma excelente série?
 

 5 - Mais uma aposta internacional
 

A Netflix não brinca em serviço. Claramente, depois do sucesso da espanhola La Casa de Papel e da alemã Dark, o serviço de streaming está de olho nas produções internacionais para compor o seu catálogo. The Rain é uma série escandinava com atores dinamarqueses e suecos."(ttps://www.fatosdesconhecidos.com.br)